Antigos e atuais.
Quarta, 29 Abril 2009 00:38

Adiantar sobre possíveis acontecimentos não prazenteiros, pode ser considerado tentativa de levar pânico, ou existirá agradecimento e compreensão de que o desejo, outro não é, que prevenir para ajudar?

Dada a existência neste núcleo (Terra) de Energias e consciências na grande maioria, nefandas, a maldade prolifera como vendaval incontrolado, desvirtuando conceitos e valores. Assim atuaram verdadeiros crápulas para comigo. Retiraram frases de um contexto e usaram-nas para incriminar-me, quando meu "crime" foi publicar um livro onde acenei com as Verdades.

Em busca de um bode expiatório que no momento lhes era necessário para mostrar "serviço," confabularam e recostaram-se sobre uma armadilha que levou-me à prisão e julgamento popular. Durante 3 meses e dias, vi-me entre assassinas, ladras, traficantes, e não bastasse, cobrindo os olhos para não assistir cenas deprimentes que prefiro aqui, não mencionar.

Como seres daninhos, a chusma de nefastos não se ateve às consequências que provocavam -como tampouco a si- por acreditarem-se vitoriosos. Suas manobras, falsos informantes, calúnias, gritos, dedos acusadores e outros mais, caíram como água putrefata no esgoto das próprias manipulações conscientes, deixando patente, a derrota que os abraçou. (Detalhes da via-crúcis, no próximo livro a ser lançado).

Fui julgada e ABSOLVIDA. Não por fraudes, corrupção ou qualquer tipo de favorecimentos escusos, mas pela realidade dos fatos comprobatórios da minha inocência, que impediu aos dignos jurados deixarem-se levar pelas pressões sofridas via reptis interessados na minha condenação. Enquanto acontecia, disformes seguiram com suas "diarréias mentais," publicando mentiras deslavadas que podem ser observadas em algumas das colunas do Google e outras. Não me produzem mal, senão, aos que assim se mostram em suas iras descabidas para com alguém que desconhecem.

Actualizado: Sexta, 09 Janeiro 2015 18:53
Continuar...
 
Faixa publicitária